R. Borges Lagoa, 913 - 102 - São Paulo-SP 11 3388-9933

Despesas assistênciais com prevenção crescem mais de 80% – Revista Apólice

Gostou? compartilhe!

Despesas assistênciais com prevenção crescem mais de 80% – Revista Apólice

Saiba mais sobre Despesas assistênciais com prevenção crescem mais de 80% – Revista Apólice

As operadoras de saúde odontológica estão investindo cada vez mais em prevenção. Segundo o relatório de análise do mercado do Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo (Sinog), as depesas assistênciais líquidas no segmento passaram de R$ 82 milhões, no primeiro semestre de 2011, para R$ 149,3 milhões, no segundo semestre de 2013. O levantamento, que é extraído dos dados fornecidos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), foi o último divulgado pela instituição.

Os procedimentos preventivos são aqueles que visam à manutenção da saúde bucal. Entre esses estão à higienização da língua; jatos de bicarbonato de sódio; polimento; raspagens manuais e com ultrasom; exame de halitose; e a adequação da técnica de escovação e o uso de fio dental. “Todas essas ações contribuem decisivamente para a redução da sinistralidade, uma das maiores dificuldades operacionais das operadoras. Isso de deve, de maneira geral, pela cultura do brasileiro, que enxerga a odontologia mais como um processo curativo do que preventivo”, garante o Dr. José Henrique de Oliveira, diretor de Operações e Credenciamento do Inpao Dental.

Ainda de acordo com o documento, entre os procedimentos mais utilizados pelas operadoras, os preventivos estão em primeiro lugar com mais de 18,8 milhões de realizações. Em segundo estão a raspagem supra-gengival por hemi-arcada, com 12,9 milhões, e a aplicação tópica de flúor por hemi-arcada, com 10,6 milhões de realizações. Restauração de dentes permanentes (8,2 milhões); exames radiográficos (6,3 milhões) e consultas odontológicas (6,05 milhões) são os outros mais comuns.

O aumento nas ações de prevenção contribuiu também para a redução proporcional das exodontias simples de permanentes, que são as remoções cirúrgicas de um elemento dentário. A execução desse procedimento não acompanhou o ritmo de expansão do mercado. Entre o primeiro semestre de 2011 e o segundo semestre de 2013, o número de beneficiários cresceu 27,20%, saltando de 15,8 milhões para 20,1 milhões. Nesse mesmo período, as exodontias passaram de 351 mil procedimentos realizados para 398 mil, uma elevação de “apenas” 13,31%.

Os números explicam, porém não revelam todo o trabalho que é feito pelas operadoras nos bastidores. “Desenvolvemos uma série de materiais de comunicação voltados à importância da escovação e a manutenção da saúde bucal para auxiliar nossos parceiros e clientes”, explica o Dr. José Henrique. “Toda vez que somos acionados, participamos de Sipats (Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho), por exemplo, que é mais uma forma de conscientizar o beneficiário no dia a dia”, completa.

 

Fonte: Revista Apolice



Gostou? compartilhe!